Movimentos populares ocupam sede da Rede Bahia, afiliada da Globo em Salvador

Movimentos e organizações populares ocuparam a sede da Rede Bahia, afiliada da Rede Globo, no inicio da manhã desta terça-feira (17), no bairro da Federação, em Salvador

O ato foi organizado pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo e faz parte do dia nacional de lutas em “Defesa da democracia e pela liberdade de Lula”, no dia em que o golpe midiático, parlamentar e jurídico que destituiu a presidenta Dilma Rousseff, completou dois anos. Iniciando por volta das cinco horas da manhã, contou com a participação de um total de 500 trabalhadores e trabalhadoras de diversas organizações, sindicatos e movimentos sociais.

Para Elder Reis, do Levante Popular da Juventude e diretor da União Nacional dos Estudantes, a Rede Globo cumpre um papel protagonista na consolidação e aprofundamento do golpe e da perda de direitos. “É importante seguir denunciando o papel que a Rede Globo tem cumprindo nesses dois anos, contribuindo para que a vida do povo brasileiro seja precarizada, e para a entrega dos nossos recursos naturais para as grandes empresas estrangeiras”, diz Elder.

Segundo Danielle Ferreira, da Executiva do Partido dos Trabalhadores na Bahia, a Rede Globo apoiou o golpe de 64, e contribui para a criminalização dos movimentos sociais e das lideranças de esquerda. Danielle fala ainda sobre a relação de políticos baianos com a Rede Bahia. “Esse núcleo da Globo aqui na Bahia, a Rede Bahia, tem uma grande relação com a família Magalhães, com o Antônio Carlos Magalhães, ACM avô, e com ACM Neto, atual prefeito de Salvador, onde os interesses da classe política conservadora, que é contra os direitos da população soteropolitana, também dirige a mídia a seu favor”, sinaliza Ferreira.

Evanildo Costa, da Direção Nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST, falou sobre o grande número de assassinatos de lideranças do campo e da cidade, sem terra, quilombolas e comunitárias, desde a consolidação do golpe. Como o assassinato de Marielle Franco, vereadora pelo PSOL do Rio de Janeiro, e do militante do MST na Bahia, Márcio Matos. “Neste dia completam 22 anos do Massacre de Eldorado dos Carajás, quando mais de 20 sem terra foram assassinados no Pará, onde os assassinos ainda estão impunes”, ressalta Evanildo.

Aurino Pedreira da Direção Nacional da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB, disse que a Rede Globo é uma das principais responsáveis pela prisão de Lula. “Essa imprensa golpista buscou incentivar a prisão de alguém que não tem culpa, e contra quem as provas não foram apresentadas”, pontua Aurino.

Ainda para Evanildo Costa, este “neste dia nacional de lutas em defesa do ex-presidente Lula e da democracia, nós do MST estamos ocupando terras e ocupamos a filial da rede globo, a Rede Bahia, fortalecendo esse dia de mobilização. Que conta com Acampamento em Brasília e no Paraná, em defesa de Lula, que foi preso injustamente, para ele seja liberto e possa se candidatar”, conclui Costa.

Por volta das 10 horas, os manifestantes saíram em marcha, de forma organizada da sede da emissora, e seguiram em caminhada pela estrada de São Lázaro, finalizando a manifestação por volta das 10h20.

Edição: Juca Guimarães

Fonte:

Brasil de Fato

Artículos Relacionados